30.3.12

ordem do dia: encher balões.

29.3.12

um dia de férias.

Vamos todos ajudar a Ana!

Já não é a primeira vez que vos peço ajuda para um trabalho de escola, mas desta vez a ajuda não é para mim, mas sim para a Ana. Prometi que alguns de vocês colaborariam - agora não me deixem ficar mal! - podem ler o texto seguinte para ficaram a saber de que se trata e como podem participar! 


Projecto: “Opinião Pública sobre como atingir a última gaveta da Felicidade” 

"Meus caros deste imenso e vasto mundo da internet, 
Gostaria de pedir a vossa colaboração e contribuição para um projecto (obrigatório) que estou a realizar no âmbito de uma cadeira de universidade de nome Projecto Individual III (uma disciplina deveras inútil que não vale quase créditos nenhuns mas é preciso faze-la, apesar que apenas temos uma aula no início para darmos os temas definitivos a trabalhar e uma aula no final para apresentar um projecto todo fantástico dentro de um portfólio que irá definir a nossa nota da disciplina). 

O projecto consiste numa parte teórica e numa parte prática. 

A parte teórica é da minha responsabilidade e consiste numa pesquisa cientifica-fundamentada-válida-reconhecida-com-bibliografia-séria que associe a influência da Felicidade na Saúde Mental das pessoas.

A parte prática consiste em recolher opiniões anónimas de variadas pessoas, homens e mulheres, pequenos e grandes, para fazer uma exposição pública no meu estabelecimento de ensino. O objectivo desta exposição é valorizar que cada pessoa tem a sua percepção própria de Felicidade e partilhar essas opiniões sobre o que a faz Feliz para que o público possa apreciar as diferenças. 

O que é banal para uma pessoa, pode ser algo que provoque uma tremenda satisfação em outros. Logo, não existem formulas para a felicidade, nenhum guia ou estudo por mais relevante e concreto que seja pode fornecer uma conclusão simples e eficaz sobre o que faz as pessoas felizes. 

Resumidamente, o que eu gostaria que vocês fizessem, caro queiram contribuir para o meu adorável projecto, é enviarem a vossa opinião sobre o que vos faz felizes ou que contribuem para a vossa felicidade. 

Sejam criativos, ousados, originais e sem hesitações pois a opinião é vossa exclusiva e ninguém a pode questionar. Podem usar o método de Ask presente na barra lateral do meu tumblr, que inclui a opção anónima. Depois irei publicar as fotografias da exposição onde irá constar a vossa opinião obviamente. 

Deveras agradecida, 
Ana."


TUMBLR DA ANA - SÍTIO ONDE PODEM DEIXAR A VOSSA OPINIÃO
Se por algum motivo não conseguirem enviar a vossa colaboração no sitio indicado, podem enviar um e-mail para gentesentada@live.com.pt, que será reencaminhado para a Ana. 




28.3.12

agora o pedro quer ser jardineiro!

27.3.12

terceira, sétima e nona a foram tiradas pelo o pedro pequenino.

À mesinha de cabeceira - David Nicholls

Um dia - David Nicholls (18 de Março - 24 de Março) 

A minha irmã mais velha trouxe-me este livro da última vez que esteve por Viseu (para lerem também a opinião dela é só clicarem aqui). Devo confessar, que a minha opinião é bastante semelhante à dela e por isso, não vou alongar-me muito no post, nem vou dizer tudo o que ela já disse. Vou ser sincera, e dizer-vos porque realmente gostei do livro. Como devem ter percebido (caso tenham ido ler a opinião da minha irmã) o romance é bastante simples e prevísivel*, no entanto, o livro consegue prender-nos. Ou pelo menos a mim prendeu-me, por achar que estou no mesmo pé que as persoangens principais se encontram, as minhas dúvidas, as mesmas questões... O que me tranquilizou por vários motivos. Primeiro, porque se alguém se deu ao trabalho de escrever sobre estas indecisões com a vida, é porque não é um medo meu, é um medo geral. Olhando para as pessoas na rua, na minha faixa etária (especialmente), eu agora sei, que eles também não sabem grande coisa e segundo, porque eu sei (isto eu já sabia, bastava olhar com atenção para as vidas das pessoas que se encontram à minha volta e até mesmo para o pouco que a minha já teve para dar), a minha vida não estagnou aqui, virão mudanças, oportunidades e será uma viagem em tanto. Infelizmente & felizmente, neste momento eu não posso, de forma alguma, tentar adivinhar. Terei que deixar espaço para a vida fazer a sua magia (tantas vezes amaldiçoei esta questão, da "vida" controlar mais do que queremos) e ver que caminho seguirei a seguir. 

"-Temos somente a totalidade das nossas vidas pela frente - disse ela, sonolenta, inspirando o maravilhoso cheiro morno e rançoso dele e, ao mesmo tempo, sentido uma ondulação de ansiedade percorrer-lhe os ombros, ante aquela perspectiva: a vida adulta e independente. Não se sentia uma adulta. Não estava de modo algum preparada. Era como se um alarme de incêndio tivesse disparado a meio da noite e ela estivesse no meio da rua, com uma trouxa de roupa na mão. Se não estudava, então, fazia o quê? Como havia de preencher os dias? Não fazia ideia. O segredo, disse para consigo, é ser corajosa e arrojada e fazer alguma diferença. Não era exactamente mudar o mundo, só aquela parte à sua volta. Sair para o mundo com o teu Muito Bom com Distinção em duas áreas, a tua paixão e a tua nova máquina de escrever eléctrica Smith Corona, e trabalhar no duro em... qualquer coisa. Mudar vidas por meio da arte, talvez. Escrever coisas belas. Estimar os amigos, manter-se fiel aos seus príncipios, viver apaixonada e plenamente bem. Experimentar coisas novas. Amar e ser amada, se tal coisa for sequer possível. Alimentares-te como deve ser . Coisas assim. Não era grande em termos de filosofia de vida, e que se pudesse partilhar, muito menos com este homem, mas era no ela acreditava." 


* A verdade, é que perto do final, mandei uma mensagem ao Pedro a dizer que já sabia como é que tudo ia acabar.

13 meses, 23 de Março de 2012

24.3.12

um mês.

Copyright © gentesentada
Design by Fearne