25.2.12

Um até já.

Vou tratar-vos como amigos e sei que muitas das pessoas que estão desse lado e que têm perdido algum tempo a ler-me e a seguir-me vão até compreender e entender o que digo e faço. A verdade, é que vou agora fazer uma pequena pausa neste blog, uma verdadeira pausa, como que um intervalo, entendem? E os motivos, perguntam vocês. Os motivos? Bem, desde de já peço imensa desculpa porque sei que vou ser um pouco confusa e misturar ideias sem me aperceber, mas a verdade é que quero apenas ir viver um pouco mais a minha vida. Já não tenho vontade de continuar a escrever sobre o meu dia-a-dia, confesso que já nem tenho muita vontade de descarregar aqui as minhas fotografias (ou até de as tirar). Há também aqui demasiada gente (não que isso me incomode em todas as alturas que publico, só de tempos em tempos) e nem sei ao certo o que é o meu dia-a-dia. Aliás, conheço-lhe as horas e as obrigações, tudo numa rotina, boa para mim, muito boa para mim, mas não me sinto a vivê-la em pleno. O que quero é ter tempo para as minhas costuras, para as minhas experiências, para escrever em diários, escrever cartas, escrever cartas à minha irmã sobre as coisas pequenas e ridículas que ela não tem outra maneira de saber, quero ter tempo para pintar, para não deixar as flores morrer, para fazer empadas. Quero viver e sentir. Quero dedicar-me a mim, ao Pedro, namorar mais um pouco, almoçar com amigas, passear um pouco. 

Foram alguns anos que fui dedicando ao blog e bem sei que não me arrependo, nem um pouco. Houve sempre aquele sentimento acolhedor, aquele carinho e até alguma admiração por parte de alguns. Soube-me sempre tão bem e fez-me sempre tão bem essa motivação, que sei bem que nunca poderei mostrar o quanto estou agradecida a toda a gente pelas palavras, dedicação e tempo que foram gastando aqui comigo. 

É para voltar, claro. Daqui a um mês, dois, talvez na altura do verão. Por agora vou apenas aprender a cozinhar, ter tempo para ler à noite, apanhar algum sol na varanda, experimentar vários chás, dedicar-me até aos estudos e à temida disciplinas que deixei para trás, sair à rua para desenhar um pouco, ver filmes e filmes, provar e experimentar coisas novas, ser um pouco mais calma e feliz. Tenho a certeza que vou voltar, carregada de vida, de fotografias e de amor para partilhar. 

É então uma breve despedida e vão ver que não vão ter saudades minhas, há uma quantidade infindável de bons sítios a visitar e um breve até já a todos aqueles que ainda estiverem aqui quando eu voltar. 

A página de facebook “Marta Filipa (Photography, Journal & Lovely Stuff)” ficará também desactivado até ao meu regresso ao blog, por isso, quem quiser manter algum contacto poderá adicionar-me no meu facebook pessoal. O Keep The Good Work Going irá continuar a funcionar normalmente tal como a pequena Mau Humor.

21.2.12

Diários: Dias em casa da T.

(zenit-e) 

Na semana que passou surgiu um convite inesperado de ir passar dois dias a casa da minha irmã mais velha (que para quem lê o blog há mais tempo - mais atentamente - sabe certamente que é um pouco longe de Viseu). Conversei com o Pedro, com a minha mãe, revi as minhas obrigações para os dois dias que passaria fora e acabei mesmo por fazer uma mala rápida (apenas o essencial que não deixou de incluir um bloco, estojo e livro) e apesar de não vir carregada de fotografias como é habitual (fiei-me demasiado na zenit e o rolo ficou queimado), aproveitei para dormir até mais tarde, conversar com a minha irmã, ver séries da fox, passear por um sítio novo, visitar a escola da minha irmã, conhecer os seus alunos e acreditem ou não, sinto que trouxe a mala carregada com mais alguns conhecimentos. Na verdade, eu não lhe chamaria conhecimentos, mas antes mais uma forma de ver a vida, de estar. Mais algumas ferramentas para usar na hora de avaliar, compreender e julgar terceiros. Tirei algum tempo para reflectir naquilo que tive oportunidade de observar e sei que, provavelmente, esta visita rápida a terras mais a sul do país me poderá ser útil numa outra fase, numa outra altura, da minha vida.
  (zenit-e) 

(zenit-e) 

Passámos por esta rua que tinha as casa mais simpáticas e bonitas e é lamentável que possa apenas deixar este curto e breve registo, fraco e de péssima qualidade. Infelizmente não tirei fotografias da rua a não ser com a pequena zenit. Mas ainda assim, dá para ter uma ideia, não é mesmo?
   

Diários

Nos últimos dias andei a passear por longe, vi um gato a espreitar pela janela, acabei uma das t-shirts que andava a fazer com a minha mãe nas aulas de Corte & Costura (foi mais ela que fez do que eu...), andei em mudanças no blog da Mau Humor e cortei o cabelo (deixei todo esse cabelo para trás). 

(zenit-e)

19.2.12

(zenit-e)

14.2.12

(zenit-e)

10.2.12

resumos.



Peço desde de já imensa desculpa se vou parecer demasiado menina (aqui a minha mãe diz: tu és uma menina!) por começar este post por dizer que estou muito contente por estes sapatos serem finalmente meus! Já os andava a namorar numa montra de uma loja da Rua Direita, na qual tenho que passar todos os dias-ou-quase-todos-os-dias há algum tempo e ontem finalmente arranjei coragem para entrar e experimentar alguns, pois alguns, nessa mesma montra ainda havia mais uns dois ou três pares que eu trazia de boa vontade aqui para minha casa (e eram tão baratinhos!), no entanto, uma rapariga tem que saber fazer escolhas. Agora noutros assuntos,  esta semana enviei mais dois pacotes de fotografias e já só sobram quatro, por isso não se esqueçam, se estiverem interessados terão que fazer a vossa encomenda o mais rápido possível. 
Só para dizer que já chegaram hoje as fotos, são lindas, obrigada! Ainda estou a pensar no que vou fazer com elas, onde as vou pôr. Adorei as das chávenas porque adoro chávenas, passo o dia a beber chá. Gostei muito dos desenhos e do pensamento inesperado, e o embrulho estava muito fofinho. - Carla Silva
Também me encontrei com uma outra Marta para falarmos de um projecto que iremos ter em conjunto que eu queria chamar Marta & Marta, mas ela acha que é melhor não. Vocês não acham que seria uma máximo? Pois.. Talvez não. Para terminar, deixo a nota de passarem pelo o Keep The Good Work Going, lerem o meu último post/aviso "Depois não se queixem" que envolve gatos e bem gordinhos!

9.2.12

(zenit-e)

8.2.12

Diários: Terças de manhã


As terças continuam dedicadas à limpeza, mas a prática leva-me a concluir as minhas tarefas um pouco mais rápido... Prática ou preguiça, afinal de contas esta semana era também para lavar as janelas e saltei essa tarefa à frente para me dedicar à geometria e em quanto estudava, lembrei-me que havia umas fotografias que tinha guardado de um trabalho feito o ano passado que não sabia muito bem o que fazer com elas, não gostava delas para as colocar nas paredes, nem para fazerem parte de algum portfólio que venha a fazer e muito menos eram indicadas para um giveaway ou coisa do género. Assim, ficaram todas catitas na capa do meu caderno de geometria e agora só tenho que decidir o que fazer com os triângulos que sobraram, alguma sugestão? No final da manhã, ainda antes do almoço, ainda me sobrou algum tempo para me aventurar numa experiência com linhas & um casaco velho. Não ficou tão engraçado como esperava, mas gostei da técnica e vou aplica-la em outras sugestões (e talvez repetir com mais cuidado e carinho num outro casaco que tenha cá para casa). 

5.2.12

2.2.12

Diários: Corte & Costura



A aula de "Corte & Costura" de hoje foi passada na loja de tecidos do centro da cidade. Também tenho que aprender a comprar tecidos, não é mesmo? Agora a sério, estou a brincar. É verdade que foi passada por lá, mas apenas porque não houve muito tempo para ir lá durante a semana que passou. A ideia inicial era apenas comprar os tecidos em tons de azul (lembram-se daquele que eu andava a namorar numa montra? É aquele azul das flores, sim), mas depois olhei para o lado, apaixonei-me por um retalho que havia numa das caixas da loja. Fiquei um pouco desanimada quando me apercebi do preço do retalho, mas a minha mãe - eu não disse que tinha que aprender a comprar tecidos - decidiu procurar na loja se não poderia haver o tecido naqueles tubinhos gigantes e assim comprava o tamanho que eu queria e ficava muito mais barato, e assim consegui comprar os três tecidos por 7,42€. Para finalizar a aula, estivemos a talhar as peças que irei fazer e agora tenho que me dedicar a alinhavar e a bordar. Para a semana digo-vos se já avancem muito!

1.2.12

à mesinha de cabeceira - Nora Roberts



A chave da luz - Nora Roberts (3 de Janeiro - 9 de Janeiro) 
A chave da coragem - Nora Roberts (10 de Janeiro - 23 de Janeiro)

Como eu sou muito distraída não li a trilogia pela ordem correcta. Não se estejam já a rir, que eu não fui a única cá em casa e além disso a culpa nem foi minha. O segundo livro (que li algures em 2011), "A chave do Saber" vinha entre tantos outros livros e sem os restantes para acompanhar, em nem tive oportunidade de me aperceber que havia um antes e um depois. E a verdade é que li os três livros sempre a achar que não ia gostar. Não, não esperem, li o primeiro livro (que era o segundo, recordo) sempre com o pensamento que não iria gostar. Levei-o até ao fim (tento sempre fazê-lo), deixou-me alguma comichão, não se tornou dos meus preferidos, nem podia dizer que não tinha gostado (mas alguma vez vou ter coragem para dizer que não gostei de ler algum livro?). Mas fiquei com vontade de saber como acabaria a história (o que só podia ser um bom sinal) e quando finalmente me emprestaram os outros dois, ataquei o primeiro com alguma vontade, mas logo me apeteceu deixa-lo de lado. Afinal de contas eu já sabia o que seu final, já sabia como acabaria o romance e a parte misteriosa da coisa. Mas havia aquela curiosidade em mim em saber como é que tinham acontecido alguns pormenores que mais tarde eram referidos no segundo livro. Acabei em tempo recorde (mesmo com alguns contratempos que já vos conto mais para baixo) e dediquei-me ao terceiro. O terceiro é o meu preferido, sempre que tinha alguma oportunidade (mesmo que fosse dez minutos em pé) lia mais umas páginas: ri, quase chorei e reflecti sobre a minha própria vida e os caminhos que já escolhi seguir até aqui (podem dizer - vocês que já são velhos de cabelos brancos - que não foram muitos, mas eu já conto algumas escolhas importantes também). Então aqui fica a minha nota positiva para esta trilogia (o bom de ler uma trilogia é que podemos acompanhar as personagens por muito mais tempo, e vocês sabem como eu sinto saudades das personagens quando um livro chega ao fim) que aconselho a todos os que gostarem de ler romances, alguma aventura e que acreditem em deuses e outros poderes. A autora é de uma escrita leve, fácil de ler em alturas de muito trabalho e stress para aliviar um bocadinho. Eu, tive que me proibir de ler à noite, demasiados pesadelos com deuses e o Kane, sim, agora vão mesmo que ter que ler para saber quem é esta personagem com quem eu sonhei.
Copyright © isto já não vai lá com chás
Design by Fearne