29.10.15

Paper Towns: o livro & filme.



Paper Towns é uma história sobre jovens & para jovens. Eu gosto das histórias de John Green e não podia deixar escapar esta pois intrigava-me as palavras na contra-capa e o trailer que vi uma dezena de vezes antes de ler o livro. Resumindo, e sem estragar a história a ninguém: é uma história sobre uma rapariga que desaparece Margo always loved mysteries. And in everthing that came afterward, I could never stop thinking that maybe she loved mysteries so much that she became one.) pela quinta vez, e como é seu hábito, deixou pistas para poder ser encontrada. Desta vez, é Q. quem recebe as pistas e toda a história de desenvolve na procura na rapariga mistério. No livro são abordadas questões pertinentes: a forma como vemos as pessoas. como cada pessoa tem uma impressão diferente de nós e como isso pode moldar a nossa forma de estar na vida e como enquanto não quisermos não conseguiremos ver as pessoas como elas são mas sim aquilo que reflectimos de nós nos outros. como segundo plano estão os temas em que o filme se foca mais: a amizade e o fim de uma etapa na nossa vida, no caso das personagens falamos no secundário, mas muitos dos sentimentos são comuns a todas as vezes em que chegamos ao final de mais um etapa e uma mistura de sentimentos reinam em nós. No livro consegui identificar-me melhor com o Q. e as várias fases que ele passa ao pensar no que sente por Margo, pelos amigos e festas e o que significa, para ele, concluir o secundário. Já no filme, sinto que conseguiram explorar o melhor o lado de Margo e o porquê de ela fugir constantemente. Por isso, e apesar de o filme conseguir ser muito do livro, aconselho a prestarem atenção às duas coisas, pois, para mim, complementam-se. 

28.10.15

açúcar, por favor #5

serões

com a chegada da escola os dias têm necessidade de ficar maiores e tenho tentado aproveitar todos os momentos livres para fazer coisas boas como comer doces, ver filmes e tirar fotografias. estranhamente, o tempo livre coincide muitas vezes com as refeições.

27.10.15

dias de chuva.

este ano o outono têm-me encantado como nunca antes.

26.10.15

44/52 Weeks

visitar a bela.

22.10.15

No outro dia comprei um livro em segunda mão e em 305 páginas, uma única frase vinha sublinhada. It is so hard to leave - until you leave. And then it is the easiest goddamned thing in the world. Para quem já leu o Paper Towns do John Green sabe que eu só poderia assumir que a frase tinha sido sublinhada de propósito para mim. 

21.10.15

açúcar, por favor #4

em dias de chuvas, o açúcar que nos recorde o verão.

20.10.15

365 DAYS WITH MARTA

19.10.15

what i wore

18.10.15

43/52 Weeks

um auto-retrato para toda a esta semana tinha mesmo que ser esta fotografia que tirei neste sábado (com ajuda da Inês) que passei na escola a trabalhar para gravura.
é isto que o terceiro ano é: passar sábados na escola.


Então, por mero acaso, eu li isto sobre este filme: OXV: The Manual. Fiquei bastante curiosa e porque não via um filme realmente bom há séculos decidi que este seria o próximo num dos meus poucos tempos livres (ou seja, quando estou mesmo cansada de estudar e/ou trabalhar para a escola) e não estou de todo arrependida! Deve fazer agora uma semana, uma semana e pouco que o vi e já o recomendei a uma séria de pessoas (ainda ontem à noite o recomendava a um amigo num bar) e por isso, faz todo o sentido partilhar aqui também. Quem não viu, corre para ver! Gostei muito do argumento: a forma como aborda a questão da sorte/livre arbítrio/destino. Que é questão que muitas vezes me ocorre a mim também: quanto disto tudo, realmente, eu controlo? No IMDb diz que está na categoria de Sci-Fi/Mystery/Romance, mas mesmo que não seja essa a vossa onda, podem ver na mesma. 

"The luckier we are, the less we care about it."

17.10.15

lisboa em outubro.



No dia 2 de Outubro a minha mãe & irmã mais velha fizeram anos. As tropas dividiram-se, enquanto a Lúcia e Bela jantavam com a minha mãe, eu viajava até Lisboa para celebrar com a irmã. Fomos jantar à pizza hut & inventámos histórias com senhorios. No sábado fomos à praia, visitar a boca do inferno e terminámos com um jantar cheio de calorias. No domingo de manhã, apesar do vento e chuva, fomos ver o mar, enquanto eu lia o livro do John Green a minha irmã corrigia as fichas. Depois do almoço, e a grande custo, regressei a Viseu para mais uma longa semana. 

16.10.15

work

quanto ao ensino superior, foi o acaso dos horários colocar-me num turno de menos pessoas e isso tem-me feito bem. o jogo virou e só as quintas-feiras se mostram aborrecidas. espero que aquela aula matinal de "fotografia II" consiga,  eventualmente, resolver o assunto.

15.10.15

visitas da ana. mas como sempre, soube a pouco.

14.10.15

Passear Viseu

As vistas de viseu entrelaças com cafés com natas e batidos. Os últimos dias antes do Outono se instalar de verdade.

Das coisas que eu não consigo fotografar mas gosto de recordar: o vento na minha mão quando ponho a mão fora da janela do carro, as cores quando estou a usar óculos de sol, estar deitada na praia e tapar a mão com o sol. O Luís a cantar gold do chet faker e aquele rapaz muito giro que conheci em tempos que me ligava quando estava na praia, para me contar sobre o dia dele e como tinha começado uma colecção de caracóis - e o quanto a minha melhor amiga estava apaixonada por ele. 

num diário do verão, 2015

13.10.15

just dance, um novo hábito para poupar em psicólogos, médicos e ginásio. acrescentei a uma wishlist imaginária para quando tiver a minha casa.
Copyright © mau olhado
Design by Fearne