30.11.14

I love peopl I can be crazy with.




27.11.14

Marta não quer chorar, mas seus olhos vertem a dor de morrer para não matar.


25.11.14

Martha my dear you have always been my inspiration.



22.11.14

Todas as cartas de amor são rídiculas.

foi aprender como se fazia, isto de bordar, para o poder escrever para mim.

20.11.14

O aniversário do Hugo

Já falei aqui do aniversário do Hugo, mas ainda não tinha partilho as fotografias. No dia 22 de Outubro ele cresceu mais um bocadinho e fomos todos até casa dele comer bolo em forma de urso (mais ao menos). Eu tirei algumas fotografias para depois lhe oferecer e ele colocar no o álbum novo que lhe oferecemos. 



19.11.14

Exposição # Quinta da Cruz

Estou a escrever esta publicação com a sensação de que se calhar já vos devia ter falado disto há mais tempo.. E por outro lado sempre me pareceu ser uma daquelas coisas que me acontecem e que nem me lembro de mencionar aqui por fazerem parte de uma outra parte da minha vida. Mas bem, aqui vai: um dos meus trabalhos de escola está em exposição. É uma exposição colectiva de Livros de Artista e para além do meu trabalho (obviamente) podem ver o trabalho realizado pelos meus colegas nos últimos três anos para a disciplina de Introdução às Artes Plásticas no primeiro ano de licenciatura. Tenho a sensação de que já falei imenso deste trabalho aqui, pois foi o meu preferido de fazer! (Apesar de ter ficado com os braços inchados e dedos doridos de ter ficado quase três dias seguidos a bordar.)

Podem ver a publicação que fiz sobre o meu livro de artista no inicio do ano, livro de artista, e para verem os outros podem visitar a exposição até ao final do ano (acho) na Quinta da Cruz. Se já visitaram, ou irão visitar gostaria muito de saber a vossa opinião no final. 




18.11.14

Batizado do Santiago


No outro dia (bem, quer dizer, já foi no inicio de mês de Outubro) tive oportunidade de estar presente no batizado do S. Um dos bebés mais fofinhos e giros que eu conheço, num espaço bonito, um dia de sol e cheio de crianças! Claro que deu vontade para fotografar. Para alegrar o dia e guardar de forma mais querida as memórias preparei estes envelopes. Foi um miminho surpresa, a mãe não contava, mas ficou contente em receber!



15.11.14

Uma prenda para o Hugo


Como eu queria ter o tempo necessário para vos escrever todos os dias. Mas com os trabalhos da escola, com as frequências, com o trabalho.. o tempo é curto. E agora que convenci o Luís a instalar o Sims 3 no meu computador ando a perder um tempo extra a jogar aquilo (irei arrepender-me daqui a um mês quando já não achar piada nenhuma). No entanto, ando há já algum tempo para vos falar da prenda que este ano ofereci ao meu sobrinho mais velho, o Hugo. No dia 22 de Outubro ele celebrou 11 anos e eu e a T. decidimos oferecer-lhe um álbum com algumas das fotografias que nós tínhamos tirado dele ao longo dos últimos anos (nem sabem as saudades que foram ao fazer esta prenda!) Sabíamos que ele ia adorar (eu apanhei-o a ver e a rever o álbum algumas vezes durante a festa de aniversário) e também a mãe dele (que disse que ia levar para o trabalho para todos as amigas verem!). Enquanto tratava da prenda, pensei que poderia ser útil escrever aqui um pouco sobre o assunto, pois a minha experiência profissional levou-me a conhecer alguns truques e saber como funcionam algumas coisa. (Apesar de fazer muitos mais álbuns digitais!)
     

Álbum digital ou álbum analógico
Isto lembra-me uma coisa, o primeiro passo deverá ser escolher entre um álbum digital ou um álbum analógico. Eu gosto das duas coisas e normalmente tento escolher conforme a pessoa a quem vou oferecer ou consoante a situação aquilo que se enquadra melhor. Para mim, e para os meus, eu gosto do toque manual que o álbum analógico nos permite. Apesar do álbum digital ter um resultado final (especialmente fotografias que enchem a página toda, são as minhas preferidas). 
p.s.: a nível de preço, façam bem as contas. geralmente o preço não é muito diferente de um para o outro. O único senão é que geralmente os álbuns digitais levam menos fotografias por página - mas isso é apenas uma questão de gosto!

O álbum
Se optarem por um álbum analógico vão perceber uma coisa: os álbuns são artigos caros! Eu, pelo menos, que trabalhei durante dois anos numa loja de fotografia continuava achar que trinta euros por um álbum de 200 fotografias era uma extravagância (e visitei várias lojas e os preços não era muito diferentes!).
O que eu tinha em mente era comprar um álbum que estivesse estragado. Muitas lojas não se importam de vender estes mais baratos, visto que muitas vezes os arrumam nos armazém e ficam para lá. Numa quarta-feira (fica a dica para quem for de Viseu) passava pela rua direita com a minha irmã e eles fazem uma feirinha à qual sempre liguei pouco, até passar por uma loja de fotografia que tinha álbuns à porta. Não hesitei muito e comprei o álbum por 8€, um álbum que da mesma colecção na minha loja estava a 19,90€. A capa estava danificada e suja, mas não havia problema porque eu sabia que iria forrar o álbum! 
p.s.: se não sabem ou não tem tempo para forrar o vosso álbum, podemos arranjar alguma coisa ali para os lados da Mau Humor!




Tipo de papel: Matte ou Brilhante.
Durante muito tempo a minha resposta seria automática: matte. Evita a marca das dedadas e o papel brilhante sempre me pareceu bem... brilhante demais. No entanto, há algumas lojas que têm um papel que me parece ser uma mistura dos dois e funciona muito bem. Por exemplo (em viseu, claro) na Fnac eu opto pelo matte porque vem com um brilhozinho que não é exagerado e não deixa a fotografia totalmente fosca. No entanto, na loja onde eu trabalhava - e onde imprimi as fotografias para o álbum - eu optei pelo o brilhante que tivemos durante algum tempo porque dava uma vida extra às fotografias enquanto que o matte era totalmente fosco. Por isso o melhor será testar com uma fotografia (de rosto, de preferência que é onde nos vamos importar mais com o resultado final) e ver o que preferem. Ah, não apostem naqueles quiosques mágicos que há em vários pontos... se forem fotografias de rostos é provável que não gostem do resultado - falo por experiência própria!
p.s: em maior parte dos sítios compensa se juntarem muitas fotografias (entre as 200 e as 300).

Tamanho das fotografias
Neste caso eu optei por imprimir as fotografias mais importantes em 10x15 (o tamanho mais comum, "tamanho postal"), no entanto havia algumas fotografias que eu queria colocar também, mas eram menos importantes ou pertenciam a alguma série de fotografias e não valia a pena serem todas em grande então imprimi algumas mais pequenas (metade de uma 10x15 aproximadamente). Isto é algo que se pode pedir para fazer na loja onde se imprime, mas em alguns casos tem um custo extra. 
Maior parte dos álbuns analógicos que se vendem não permitem colocar quatro fotografias seguidas. Por isso se cortarem a vossa fotografia num quadrado, 10x10, conseguem fazer colagens divertidas. Isto é mais uma daquelas coisas que se pode pedir para fazer na loja, mas precisam de saber muito bem onde vão colar o quê.. Eu decidi imprimir na mesma em 10x15 e depois cortar os 5cm extra e juntar as que me apeteciam!
Para imprimir em maior eu aconselho entre 15x20 a 20x25 (maior, eu acho que já não fica tão bem e nem dá para todos os álbuns. também podem imprimir em quadrado 15x15 ou 20x20, por exemplo)
p.s.: para fazerem o tamanho mais pequenino e tiverem alguma conhecimento de photoshop, basta abrirem um novo documento com 10cm por 15cm e 300 de resolução. Depois basta colocarem as duas fotografias que quiserem e cortar em casa!



Colocar as fotografias no álbum.
Usar autocolantes (vendem-se nas papelarias & lojas de fotografias). Eu aconselho aqueles que se colocam mesmo atrás da fotografia e não aqueles que são conhecidos por cantos. Visto que exigem mais paciência e uma colocação mais cuidada (quem me conhece, sabe que nestas coisas prefiro coisas práticas e que não me atrasem - já que faço tudo em cima do joelho!)
No entanto, eu dispenso isso e uso fita-colas decorativas que são o ideal para este tipo de trabalhos. Especialmente porque até se pode usar fita-colas relacionadas com o tema das fotografias (natal, férias, praia, campo, cozinha..) Estas fitas encontram-se em muitas lojas, mas especialmente em locais onde vendam artigos de papelaria (como por exemplo, fnac e continente que têm uma zona dedicada a esse tipo de artigos). 
p.s: quando não uso fita, uso cola UHU porque é a melhor coisinha por aí anda a nível de colas!

Temas
Como eu estava a fazer um álbum com fotografias de vários anos, eu preferi em algumas situações colocar páginas com apenas uma fotografia do que misturar temas - mas isso já é ao gosto de cada um.

Desenhos 
Para além das fita-colas decorativas eu aconselho também uns desenhos. Conforme o destino do álbum podemos acrescentar umas coisas mais mimosas. Como era para um rapaz, e algumas páginas ficaram em branco, ele ainda vai andar com aquilo durante uns anos, eu não queria fazer nada muito infantil. Por isso, limitei-me a marcar o ano, as pessoas da família e um ou outro momento mais marcante. Podem fazer desenhos em páginas inteiros ou fazer colagens. Aí, já depende da imaginação e gosto de cada um. 



Se ficaram com alguma dúvida não hesitem em perguntar! E para irem estando a par de todas as novidades do dia-a-dia podem seguir a minha página do facebook




9.11.14

As cinco perguntas da Maria

Quero começar esta publicação por dizer que a Maria é uma das minhas pessoas preferidas aqui por estas andanças. Lembro-me dela há imenso tempo, sempre me foi muito querida e volta e meia trocamos cartas & postais (isto lembra-me que tenho 10 postais handmade para fazer e a Maria será uma das primeiras a receber, claro.) Por isso, quando ela me lança um desafio destes, faz quase parte das minhas obrigações responder - mas verdade seja dita achei as perguntas bastantes interessantes e andei alguns dias a trabalhar nas respostas.

As regras do desafio é responder às 5 perguntas da Maria. Nomear mais cinco blogs para participarem na brincadeira e criar cinco perguntas para os meus nomeados responderem. Vamos por partes e eis as minhas respostas:



1. Qual é o teu director cinematográfico favorito?
Sou do tipo de pessoa que nem sabe identificar muitas vezes os nomes dos filmes, quanto mais quem fez o quê e quando. Eu sei que isto é de muito mau tom e tento sempre disfarçar esta minha tendência mas quando me fazem esta pergunta fico sempre sem saber o que responder. Por isso, fui fazer o trabalho de casa e fui pesquisar por mais informações de alguns dos meus filmes preferidos. Conclusão? Continuo sem conseguir responder. Resultado? Acrescentei mais uma dezena e filmes à lista dos filmes para ver. Acho que serei capaz de responder a esta pergunta daqui a um ano. Ok? Combinado.


2. Qual foi a fotografia que tiraste que mais amor te fez sentir?
Pergunta difícil e quase impossível de responder. Gosto muito de quase todas as fotografias que tirei à minha prima Daniela - especialmente das que tirei naquela série da Bailarina & das princesas. Sempre gostei de fotografar a Marta Margarida e não consigo negar um amor infinito por este retrato dela (que tem muitos muitos muitos anos em cima). Esta fotografia do Tomás numas férias que passámos no Algarve. Que me lembra a minha família, o crescimento dos pequenos, os meus dezoito anos (sim, dezoito anos) e não sei, acho que é do sorriso tão sincero. Mas é-me quase impossível responder a esta pergunta sem deixar de referir as fotografias do meu Hugo, ou dos dias em casa da Teresa, ou das minhas primeiras aventuras do retrato. Coloco sempre tanto de mim nas coisas que faço que é-me complicado decidir-me por apenas uma fotografia. 
3. Qual a tua peça de roupa favorita?
Depois de ter começado o meu desafio de passar um ano sem comprar roupa (e dois meses já passaram!) percebi aquilo que toda a gente percebe quando olha duas vezes para o meu armário: eu tenho imensa roupa. É verdade que alguma já tem muitos anos, depois há outras peças que gosto realmente de usar, aquelas que tenho esperança de voltar a usar, as prendas e outras que fui comprando porque uma pessoa precisa de se mimar. Por isso escolher as minhas peças preferidas foi um desafio e decidi dividir em duas secções. Da roupa mais prática tenho as minhas sapatilhas vermelhas & botas castanhas, o meu top branco e um casaco tipo-capa castanho comprado há uns valentes anos também. Daquela que realmente gosto - mas que raramente uso por não se revelar assim tão prática, por tem que ser com um tipo de tempo muito especifico - vá, meia-estação que mal existe agora! - tenho o quimono que fiz com a minha mãe e uma saia comprida em tons alaranjados (que era na realidade um vestido que me deram.)



4. Qual é o teu maior sonho?
Eu tinha dito que as perguntas eram difíceis certo? Esta é mais uma dessas. Eu sonho muito e responder a isto custa sempre mais do que parece. Há aquele olhar de desdém que as pessoas lançam aos sonhadores... Alguma inveja, alguma descrença.. Mas eu, neste momento, gostaria que a Mau Humor pudesse alcançar algum sucesso, ou trabalhar para um revista (ou até gerir a minha própria revista). Poder tirar uma outra licenciatura ou um mestrado (irei decidir-me por algo um dia) na área do marketing e/ou design de interiores e/ou design de moda e/ou psicologia (numa onda a nossa perceção visual das coisas). 
Reparei que referi carreiras e estudos. Quanto ao resto, quero uma família grande, uma casa com jardim, ter tempo para ser uma boa mãe, aprender a cozinhar.  


5. Um livro muito marcante na tua vida.
O livro A Lua da Joana de Maria Teresa Maia Gonzalez levou-me a ler mais, O Diário de Anne Frank mostrou-me que os livros tinham outros mundos que eu podia descobrir. Joanne Harris (especialmente o Sapatos de Rebuçado e o Valete de Copas e Dama de Espadas) fizeram-me viajar para histórias fantásticas. Se me pudesse ver agora de Cecelia Ahern porque fiquei terrivelmente triste com o fim e Irmãs de Sangue de Stepanhie Keating & Barbara Keating porque chorei pela primeira vez a ler um livro. Ah, e aquele a Leucemia do Nicholas Sparks porque era uma miúda a ler romances (queria-me lembrar do título, mas não me ocorre).



Agora, as minhas cinco perguntas:
1. Se o Andy Warhol tem razão - In the future, everyone will be world-famous for 15 minutes - o que farias com os teus 15 minutos? 
2. Qual foi o teu sonho mais estranho?
3. Se pudesses trocar de vida com alguém por um dia, com quem seria?
4. Qual é a tua memória mais querida?
5. Se pudesses ter um super-poder qual seria?

As minhas nomeadas:
Lúcia do Gaveta Desfiada 
Ana do Mar em Março


7.11.14

Outubro


Estou a escrever esta publicação sobre Outubro e apesar de ainda nos encontrarmos nos primeiros dias de Novembro sinto que tudo passou há muito mais tempo. O mês de Outubro ficará sempre marcado pela ansiedade, pela dúvida, pela certeza e novamente: pela dúvida. Comecei o mês com ameaça de gripe, mas por outro lado, acredito que fosse apenas cansaço acumulado dos meses atribulados do Verão. A minha mãe e irmã fizeram anos. Deixei de trabalhar na loja (fiquei na dúvida o quanto deveria contar sobre isto, mas achei que não dizer nada, seria pouco sincero). Fotografei o batizado do S., acabei o site da Mau Humor (já foram ver?) e decidi reformular este espaço. Comecei a fazer algumas mudanças no meu quarto, porque a uma mudança de vida corresponde, com muita frequência, uma mudança de móveis. Deixei mais uma vez o project365 no início. O Luís ofereceu-me um urso gigante (que me faz sentir uma criança, mas vocês sabem, uma criança feliz). Continuei sem ter tempo para ler, continuei sem conseguir ver os filmes que quero ver - mas tenho seguido com atenção uma série no AXN, Forever, que acho deveras engraçada. (Quem vê também?) Tenho-me esforçado nos trabalhos da escola - que me roubam imensas horas de sono. O Hugo fez anos. Tenho-me apaixonado por camisas que não posso comprar e tenho gostado de pintar com guache. Eu , as minhas irmãs e sobrinhos, festejámos o Dia das Bruxas. E agora, caminho um pouco mais feliz e descansada para Novembro. O tempo livre extra faz maravilhas a uma pessoa, consigo ter tempo para a escola, para o trabalho, para o blog, para a Mau Humor, para passear, para namorar, para me sentar no sofá e não adormecer em cinco minutos... Assim sim, vale a pena!
 


Copyright © isto já não vai lá com chás
Design by Fearne